domingo, 19 de junho de 2016

Drave - Arouca

Drave um destino mágico! Já há muito tempo que se esperava por esta aventura, sim, foi mesmo uma aventura esta caminhada, daquelas para mais tarde recordar. Por calçadas antigas, paisagens deslumbrantes, o encanto das pequenas flores selvagens, largatixas, um sardão envergonhado, formigas enormes e claro a beleza da aldeia de Drave situada na Serra da Freita num dos recantos mais belos de Portugal. Um corta mato inesperado, uma subida durissíma, valeu a entreajuda de todos estes caminheiros de top. Obrigado a todos por tudo.
Drave - Arouca

domingo, 5 de junho de 2016

Mixões da Serra


Mais um ano os Calcantes rumaram á romaria de Santo António! Por caminhos estreitos mas não menos belos, começamos a subir alegremente, este ano com menos alguns graus de temperatura. Chegando á romaria fizemos uma visita à igreja, onde podemos assistir á benção dos animais. Hora de almoço, xiripitis de todos os gostos. Não é que depois excecionalmente fizemos duas fotos de grupo. De volta com umas aulas de biologia e geografia para enriquecer a alma. Até para o ano.

domingo, 17 de abril de 2016

Rota do Românico

Os bravos dos 35 do românico.
Em busca do mosteiro já ali, como disse José Rodrigues.
Foi esse o nosso objetivo da manhã do dia da graça de 17 Abril de 2016.
A caminhada iniciou no parque de merendas de Montedeiras. Fomos abençoados com chuva, mas esta não desmoralizou os caminheiros presentes.
Foi necessário trilhar 20 km para chegarmos ao mosteiro já ali.  Aka.  Ancede.
Mas antes, os nossos sentidos deliciaram-se com a capela de Fandinhães e sua envolvência. Um quadro de rara beleza.
Fandinhães ainda nos reservava uma outra surpresa... uma mercearia de aldeia, tipo tem tudo. À venda brinquedos e  “chicla”, colocados na prateleira aquando da inauguração.
Provámos o melhor lote de café da delta, isto segundo o simpático proprietário, devidamente acompanhados dos regionais bolinhos de amor.
Refiro que o José Daniel saiu do local a transbordar de amor...
Segue parte dois.
Descemos depois até ao Douro onde foi necessário puxar por alguns caminheiros que queriam ficar no SPA do Douro Royal valley hotel. A muito custo desistiram da ideia.
Foi então altura de pormos os pés numa calçada romana em direção a Ancede... O local de almoço.
A tarde começou com uma visita guiada ao mosteiro e anexos... Museu da vinha/vinho e capela do Senhor do Bom Despacho.
Essencialmente o resto da jornada foi a descida até Aregos, com o beijo do Tâmega ao Douro como pano de fundo... Lindíssimo.
Houve ainda tempo para provarmos as estranhas mas deliciosas laranjas sanguíneas.
Rota do Românico
Na parte final deste trilho calcorreamos o caminho do Jacinto, o qual nos conduz ao local onde se encontram os restos mortais de Eça de Queiroz, que casou por estas bandas.
Aregos estava no horizonte. O final de tarde aproximava-se e com ele as suas tranquilizantes cores e aromas.
A jornada culminou em festa na estação de Aregos, na qual uma associação local preparou uma degustação de vinhos e bolo da Teixeira.
Tinha chegado ao fim esta rota do românico proposta pelos Calcantes by Miguel Moreira. Notamos o cuidado que teve na preparação, nomeadamente com as visitas guiadas aos vários monumentos.
Termino parafraseando uns certos amigos gauleses...
35 km? Estes românicos estão loucos!

Luís Moura