domingo, 18 de março de 2007

Xertelo - Carris - Xertelo

Mais um domingo acordar cedo para uma aventura até aos “picos do Minho”, e que aventura viria a ser este dia. Mas já vos conto tudo. Saímos de Gavião as 8:20, a hora prevista; chegamos ao Xertelo onde lá estavam os amigos do “porto”. Mochila as costas, tecnologia a funcionar e ai vamos nos a percorrer os primeiros kilometros, quando ao longe se avista uma “Famel 75”; aproximamos e lá estava pendurado o saco da merenda e o vinho. Uma “Famel” por aqui?
Eis que surge acompanhado dos seus cães, o guarda de cavalos, monta na mota e percorre os trilhos da montanha a traz dos seus cavalos. Um pequeno momento de descontracção, antes da grande aventura. Seguimos então pelo estradão até cortar a direita e entrar no trilho, onde nos deparamos com a primeira prova de fogo; passagem do rio e a subida acentuada da falésia do ALTO DO FACHO. Com a chegada ao topo algumas pequenas mazelas surgiram, mas nada que o espírito de conquista não ultrapasse. Mais uns kilometros e eis que surge o vale da LAMALONGA onde ao longe se visualiza na falésia a central de lavagem do minério da famosa mina dos carris, (onde o Salazar com a extracção do bolfránio ia enganando os nazis e os ingleses, ganhando assim uns largos “cobres”). Uma vista deslumbrante, que deixou o grupo a “sonhar”; e os comentários surgem (parece que já vi isto no Senhor dos Anéis). E lá fomos a explorar o vale da LAMALONGA, percorrendo os trilhos, passando rios, (correndo a traz dos touros), sozinhos naquela imensidão. Chegamos ao fim do vale a encosta (da aldeia); um minuto de repouso, um olhar profundo para a falésia; é pra subir? Procuramos então o melhor local para uma subida mais fácil, por entre os obstáculos e com espírito de entreajuda, eis que atingimos o topo do SALTO DO LOBO. Passavam das duas horas, quando alcançamos as minas dos Carris, deslocamo-nos então até a lagoa dos Carris onde almoçamos e nos abrigamos do intenso vento frio que se fazia sentir. Ao almoço como já se vai tornando habito um “penetra” vai saltando de saco em saco a procura da comida; e o “ euribor” subiu e desceu com a carne. (Fica o churrasco para uma próxima) Estava na hora de continuar a aventura; começamos então a descer pelo trilho das minas em direcção á portela do homem, mas logo saímos para LAMAS DE HOMEM, bastante tranquilo, com uma paisagem diferente; mais primaveril chegando á LAGOA DO MARINHO um belo local para uns bons momentos de convívio, e relaxamento desfrutando de toda a “verdura” em redor da lagoa. Alcançamos então o estradão descendo tranquilamente o vale; decidimos então a dado momento para encurtar caminho sair do estradão e descer um vale tentando alcançar o trilho de CUBO DE BAIXO que nos levaria até ao local ao Xertelo. Chegando a meio desse vale deparamos com a impossibilidade de prosseguir. A inclinação era muito acentuada, tornando-se a sua descida um risco muito elevado, decidimos então voltar, antes de anoitecer para traz, ao encontro do estradão. Esta pequena aventura na tentativa de poupar tempo e distância saiu nos “furada”,(a culpa foi do Quim) fazendo nos perder algum tempo. Já tinha caído a noite decidi-mos não arriscar mais e descer pelo estradão, fazendo mais 7,5 km do que o previsto. Lanternas e frontais ligados, cada um impondo o seu ritmo descemos e subimos o vale até xertelo, onde acabaria a nossa aventura. Eram 21:35 e tínhamos percorrido aproximadamente 32 kilometros; um dia diferente; uma experiência inesquecível, mas muito desgastante.
Esperando que muitas e muitas mais se proporcionem.
Marco Suíço
Clicar na cobra para ver fotos mas CUIDADO

1 comentário:

Alexandra disse...

"O menino quer Natureza, quer Ar Puro?!"
Apesar de ter abafado a meio...adorei a caminhada e todas a Lindas paisagens que o nosso Lindo Gerês tem para nos oferecer.
Venha a próxima.
Até Breve.