domingo, 27 de maio de 2007

PR8 - Arouca

27 de Maio 2007 Famalicão, 8 h da manhã, estavam alguns elementos dos Calcantes prontos para mais uma caminhada, o destino era Arouca mais propriamente para a inauguração do percurso PR8 “Rota do Ouro Negro”. O dia começou um pouco atribulado para mim pois pela 1ª vez adormeci nunca me tinha acontecido, resolvida a situação e passamos à viagem, percorremos um pouco de estrada e estava o Nuno um dos elementos do grupo com uma grande indisposição que o impediu de continuar o que nos fez andar um pouco para trás. Já estávamos com uma hora de atraso em relação ao combinado e reduzido a 5 elementos (Lurdes, Pedro, Zé, Joel, e Daniel), Também com o pensamento de que já ninguém estaria a nossa espera. Eram 10:30 e chegamos ao destino (Câmara Municipal de Arouca) e para nossa satisfação ainda lá estava um grupo que aguardava pelo autocarro que nos levara ao ponto de partida da caminhada. Desde logo começou o nosso convívio, aproveitamos para tirar algumas fotos e trocar algumas palavras com outros caminhantes, já estávamos no autocarro quando o Pedro se começou a sentir mal, não passou de um susto e lá estávamos nós a chegar ao ponto de partida na freguesia de Moldes (Fuste). O percurso foi feito por grupos e em fila indiana o que de nada eu estava habituado, tínhamos no grupo uma guia que nos foi dando algumas informações ao longo da caminhada nomeadamente sobre o volfrâmio (um minério muito explorado na zona). Capela de Sta. Catarina em que dai em diante foram percorridos trilhos por meio de campos dentro de propriedades onde reinava a sua beleza, mas fora daquilo que eu estava habituado e já estávamos no Pedrógão (uma aldeia no meio da serra) e onde podemos apreciar um viveiro de trutas propriedade de um restaurante típico da zona. Deparamo-nos entretanto com um belo pequeno almoço com uma deliciosa broa e mel não faltando uma aguardente muito especial (já ficávamos por ali) retomamos de seguida a caminhada ainda com mais entusiasmo e não deixando de comer umas cerejinhas que iam aparecendo pelo caminho, fomos trocando experiências seguindo em direcção às minas da Pena Amarela, aquelas rochas eram de uma imagem belíssima, mais a frente avistamos um vale profundo, onde a agua corria ao encontro da cascata do ribeiro da covela eram umas cascatas apreciáveis que atravessavam as minas de pena amarela. A determinado momento senti uma tristeza um pouco profunda pois deparei-me com algumas situações em que tinham a intervenção do homem tal como uma ponte de madeira e áreas queimadas pelo fogo, mas lá continuamos até que chegamos ao rio de frades eu e o Pedro resolvemos fazer uma mariola pois e um símbolo que existe na zona do geres pelas quais nos guiamos nas nossas caminhadas. Entretanto começamos a descer para a freguesia de Cabreiros (Caminho do Carteiro) um outro emblemático percurso da zona. Tudo corria bem até que apareceu a chuva miúda mas que molhava e deparamo-nos novamente com um lanche, mas que o tempo não permitiu que fosse tão aproveitado quanto o primeiro. Dirigimo-nos então para o autocarro e por fim rumo a Famalicão, embora eu esteja habituado a caminhadas mais longas podendo ate dizer mais duras e de um nível de preparação mais elevado e um pouco diferente noutros aspectos não posso de deixar de dar os parabéns à Câmara Municipal de Arouca e a todos quanto contribuíram para este evento é importante sabermos e vermos quanto de belo tem o nosso Pais.
Daniel Fonseca

2 comentários:

Alexandre Nuno disse...

O vosso Blog está sempre a melhorar.Boa.Abraço do "Grande Chefe sem Cabelo".

Anónimo disse...

só para informar que já está aberto em canelas arouca o trilobite restaurante,vejam as fotos (passa por lá o PR9 rota do xisto)
http://valerioscar.spaces.live.com/blog/cns!2C468CEDD50FC30C!921.entry