domingo, 28 de outubro de 2007

Portela do Homem Pitões das Junias

Contrariamente a muitas caminhadas esta tem a particularidade de começar de noite e de fazer a travessia desde a Portela do homem até a Pitões das Júnias pernoitando nos Carris. Sendo a minha primeira experiência com os Calcantes, vou relatar esta experiência na primeira pessoa. Era 22h30 do dia 27 de Outubro de 2007 quando iniciamos a nossa caminhada, todos muito animados. A boa disposição reinava e a simpatia de todos os participantes era contagiante pois parecia que já caminhava com esta gente há muito tempo. Após umas 3h30 de marcha chegamos aos Carris, o frio fazia se sentir mas logo logo aquecemos com o cafezinho do Zé e o famoso cheirinho pelo qual me apaixonei. Tendas montadas e sacos cama estendidos estávamos prontos para o repouso do “guerreiro”. Aurora no Gerês… lindo demais, espectáculo que aconselho a qualquer um, lindíssimo… Van Ghog escrevia numa de suas cartas a seu irmão Leo “Aqui a natureza é demasiado bela, não consigo pintar mais belo” Pois eu digo o mesmo “aurora no Gerês é demasiado linda, não consigo escrever mais belo do que aquilo que os meus olhos viram”. Após o pequeno-almoço e uma visita relâmpago as minas, para quem não conhecia, iniciamos a nossa caminhada até ao Pico da Nevosa passando pela Garganta das Negras. Ainda avistamos umas cabras selvagens que saudaram muito timidamente os corajosos que subiram até ao pico. Contornamos Lamelas e descemos até ao início do corgo com o mesmo nome. Ai debaixo de uma árvore descansamos e recarregamos as nossas energias e claro no fim do nosso”festim” fomos brindados mais uma vez com o famoso cafezinho do Zé e respectivo cheirinho. Prontos para mais uma etapa, subimos até Céu Rubio que contornamos, aproveitando caminhos de pastores ali ainda sinalizados com pequenas mariolas. Descemos até ao Ribeiro da Teixeira tendo como companhia no nosso lado esquerdo a imponente Fraga de Paùl. Breve, breve chegamos ao pé da famosa Fraga de S. João e iniciamos ali uma pequena “prova de esforço”pois a fraga é mesmo íngreme e nos já estávamos mesmo muito cansados. Um grupo de corajosos subiram mesmo até a capela, incluindo eu (não podia deixar de ver aquilo com o qual tanto sonhei) Lindo, espectacular, maravilhoso mesmo… uma paisagem digna de se tirar o chapéu. A partir de ai começamos a descer e descer e descer até ao Carvalhal do Teixo, e depois foi sempre a subir até Pitões. Chegamos eram cerca das 18h30 já a anoitecer, terminamos no Café do Rato do Eiró a beber uma cervejinha fresquinha com o Zé e o Daniel, o resto de pessoal já nos esperava no autocarro que nos levava de regresso a Casa.Gostaria de deixar aqui o meu muito obrigado pela companhia, pelas paisagens, pelos momentos maravilhoso e pelo dia fantástico que passei. Quero agradecer ao Zé pela simpatia e pelo esforço em me integrar no grupo (que conseguiu lindamente), quero agradecer a Raquel pela alegria que nos contaminou a todos e dizer lhe que não me esqueço que somos “tudo um grupo”, quero também agradecer ao Pedro por ter proporcionado tudo isto. Enfim um muito obrigado a todos. Adorei.
E agora… quando é a próxima?????
Dorita

2 comentários:

Alexandre Nuno disse...

Grande jornada.Parabéns invejosos do "Grande Chefe Sem Cabelo na Cabeça".Abraços a todos.

Anónimo disse...

Dorita esta tua conclusão...que eu diria mais um pensamento...é mesmo muito interessante.Gostei!

Um beijinho para a minha amiguinha do coração.

Manela