domingo, 11 de janeiro de 2015

Portela do Homem - Torneiros

DA PORTELA DO HOMEM A TORNEIROS (LOBIOS)

Foi fantástico!...
Chegados à Portela do Homem e depois dos beijos e abraços da praxe as lideranças juntaram os cerca de 60 companheiros, ávidos por mais uma caminhada. Desta vez, para queimarem os quilitos acumulados durantes as festas do Natal e passagem de ano.
Já no lado Espanhol, e depois da receção atenta da polícia fronteiriça dos dois países, notava-se, alguma melancolia. Faltava qualquer coisa ....
O frio não ajudava nem mesmo a opção pelo estradão até lobios. Era demasiado fácil para quem está habituado a grandes desafios. O Sol abriu e o vale mostrou a sua beleza. Cheio de carvalhos que também atapetam o chão com os seu barulho tão caraterístico. Consigo ouvir a legião romana pelo calcorrear das nossas botas.
Os azevinhos carregados de bagas e os medronheiros com fruto, atrasam justificadamente o andamento, tal é a sua beleza.
Carreiro abaixo, os Calcantes, dirigem-se, alinhados, passo rápido, mas a perder de vista o último, à procura do tão desejado banho na piscina que faz lembrar uma fumarola. Parece ter sido local de banhos públicos no tempo dos Romanos.
O ânimo aumentava a cada metro percorrido mas já se percebia que ia faltar a poção mágica do famoso “Druida Panoramix”, conselheiro do grande chefe. Alguém disse “assim não é a mesma coisa, falta cá o Zé e o seu xiripiti”.
O Rio Caldo, com os godos a unirem as margens, serviram de ponte aos mais afoitos e apressados. Os outros, deram a volta, e com mais calma, despiram-se de vergonhas e mergulharam na tão desejada piscina que mais parecia um caldinho. Um verdadeiro Sudatorium. Também havia o Tabernae, café que abasteceu os sequiosos sorvidores de bejecas. Tal como no tempo dos Romanos, os mais aventureiros não dispensaram o Frigidarium, molhando-se nas gélidas águas do Rio Caldo. Todos, aproveitaram para relaxar, retemperar energias e aquecer o corpo. O aquecimento foi tal que alguns queixaram-se, dizendo que ficaram com a tensão baixa.
A hora já ia adiantada e a fome apertava. Tal era, que lembrava a gula do Obelix. Sentados no chão, cada um partilhou as suas iguarias até mesmo com uma cadela que nomeei de Ideiafix. Ideia Fixa na minha salada de polvo, tal era a míngua.
Guardei-me para o bolo de aniversário da Filipa. Mas antes, surpresa das surpresas, o mensageiro do “Druida Panoramix”, conselheiro do grande chefe, oriundo das terras do conquistador, ofereceu a todos a poção mágica, de sabor a ameixa e medronho. Não faltava nada, nem mesmo o café.
Repletos de energia, pela Geira Romana acima, só paramos na Corga da Fecha, onde contemplamos a cascata e as lagoas de água gélida e transparente.
Todos preferimos o percurso de regresso, pela riqueza geológica, pelo património arqueológico do tempo dos Romanos, nomeadamente os Miliários. Marcos colocados na margem das principais vias romanas e que indicavam a distância à cidade de origem.
Chegados à antiga fronteira Portugal/Espanha fizemos um brinde à aniversariante, Filipa Ribeiro, e acrescento eu, ao sucesso dos Calcantes.
Parabéns a todos e um ano de 2015 com muitas caminhadas.
Adelino Ramos

Portela do Homem - Torneiros

Sem comentários: