domingo, 19 de julho de 2015

Afife e Carreço

Na pacata Vila de Afife, a manhã estava perfeita para mais uma caminhada organizada pelos Calcantes, grupo conhecido pela simpatia, alegria e muita boa disposição.
A concentração dos caminhantes fez-se na belíssima praia de Afife, de areia branca e macia e coroada desde sempre com bandeira azul. E, foi perante este admirável cenário de paisagens costeiras e rurais, numa área praticamente sem desníveis e por isso com um grau de dificuldade fácil, que percorremos o extenso passadiço que apreciamos uma verdadeira estrutura dunar com fauna e flora características.
Chegados à praia de Paçô ou Forte de Paçô ou ainda Fortim de Montedor, verificamos a existência de um forte construído no séc. XVIII durante a Guerra da Restauração, cuja função era a vigilância e a defesa da margem esquerda do Rio Minho e respectiva costa. Constatamos a sua triste sorte, completamente degradado.
Continuando o percurso, já na freguesia de Carreço, junto à praia de Fornelos, encontramos um núcleo de gravuras rupestres, dos mais representativos do Noroeste Peninsular, e também as Pias Salineiras, escavadas na rocha, que serviam para a extracção de sal e que remontam à Pré-História.
Mas, as descobertas ainda não terminaram, nas imediações do Farol de Montedor, existe um conjunto de três moinhos. Destaque especial para o moinho onde foi tirada a nossa fotografia de grupo, chamado Moinho do Marinheiro, único exemplar com velas trapezoidais de madeira que actualmente se encontra a laborar no nosso país.
E, com toda esta informação, chegou a hora de almoço, onde?! fazendo jus ao nome, ocupamos o espaço do Moinho do "Petisco" (e que petiscos!!!). Começamos pelos salgadinhos, passamos pela tábua de queijos, e muito mais, acabando com um delicioso bolo. Chegou o momento do cafezinho e do já famoso "chiripiti" presenteado pelos Calcantes.
Depois de este magnífico repasto, seguimos em direcção ao Farol de Montedor, o farol mais a Norte de Portugal. Pelo caminho rural de Santiago seguimos em direcção à Quinta de Cabanas, onde viveu o poeta, professor e folclorista Português, Pedro Homem de Mello. Visitamos a Capela Nossa Senhora do Amparo, no cima da Vila, passando também pelo miradouro de Santo António, que constatamos haver muita vegetação em redor dificultando um pouco a magnífica vista sobre o mar azul, o verde das veigas e dos montes.
Descemos em direcção ao ponto de partida, caminhada tão pequena em extensão mas sem dúvida riquíssima em história, todos nós ficamos mais ricos em sabedoria.
No final, um pequeno grupo, os mais audazes, não resistiram ao apelo das águas transparentes, agitadas e frias do mar e aventuraram-se num mergulho! E assim terminamos com um lanche e revigorados para uma próxima.
Maria José Costa



Afife e Carreço

Sem comentários: